Alimentos Que Ajudam Emagrecer – Faça Da Forma Certa!

Se você já tentou perder peso com uma dieta saudável e não conseguiu, conheça hoje o protocolo dos alimentos que ajudam emagrecer.

Em tese, os alimentos que ajudam emagrecer são aqueles que atua por meio de mecanismos que auxiliam o funcionamento do corpo para atingir tal objetivo.

Por exemplo, existem alimentos que agem melhorando o trânsito intestinal, outros combatem a retenção de líquidos. Ainda temos alimentos que aceleram o metabolismo e reduzem o apetite.

De modo geral, a maioria das pessoas que consegue manter uma dieta saudável e praticam alguma atividade física, não tem problema em manter o peso ideal. No entanto, é comum encontrar relatos afirmando que mesmo seguindo estes passos, existe um sobrepeso.

O grande problema aqui é que as pessoas inserem os alimentos que ajudam a emagrecer na dieta, mas continuam consumindo industrializados e calóricos. Como se sabe, para perder peso é preciso ter um déficit de calorias.

Além disso, outros problemas podem contribuir para o sobrepeso, é o caso de doenças como ansiedade, compulsão alimentar e disfunções hormonais.

O protocolo dos alimentos que ajudam a emagrecer que apresentarei, a seguir é comprovadamente eficaz. Entretanto, só funcionará se você não for acometida com alguma destas patologias.

Desse modo, minha recomendação é que observe bem sua saúde e caso note qualquer coisa, procure um médico a fim de obter diagnóstico.

Por outro lado, se estiver tudo bem com sua saúde, este guia vai te ajudar muito! Então, siga lendo e prepare-se para perder peso com uma alimentação saudável e sem precisar ir para a academia.

Quais São Os Alimentos Que Ajudam a Emagrecer?

Em se tratando de alimentos que ajudam a emagrecer, temos vários pertencentes a diversas classes. A seguir, vamos falar sobre chás para emagrecer, sucos e também as farinhas Low carb. No entanto, estes são os alimentos convencionais, mais adiante te apresentarei alguns que, certamente, não conhece.

Chás Para Emagrecer

Os chás para emagrecer são a maior febre e é cientificamente comprovado que são eficazes. Vale ressaltar que não fazem milagre sozinhos.

A princípio, vamos entender como um chá emagrecedor pode te ajudar a perder peso.

Basicamente, existem dois mecanismos pelos quais um chá nos ajuda a emagrecer:

  • Reduzindo o apetite;
  • Acelerando o metabolismo;

O chá de gengibre e o chá verde, por exemplo, são os mais conhecidos por fazer o corpo queimar mais calorias. Ainda podemos usar o chá branco, preto, matchá, chá de canela e outros.

Por outro lado, temos os chás que diminuem a fome. Geralmente, o excesso de apetite é uma das principais reclamações de quem está tentando perder peso, então fique de olho nestas dicas.

O chá de gengibre é, sem dúvida, um dos mais eficientes quando o assunto é emagrecer com saúde. Isso porque, além de acelerar o metabolismo ele também reduz o apetite.

Além dele temos também o chá verde, de laranja amarga e o chá de maçã e de passiflora, como os melhores para diminuir aquela vontade de comer toda hora.

Sucos Para Emagrecer

Eu não poderia deixar de falar sobre os sucos para emagrecer, afinal, toda ajuda em bem-vinda. Os sucos para emagrecer podem ser detox, que eliminam substâncias ruins do corpo e fazem com que os órgãos funcionem de forma adequada.

Também temos os cucos que aceleram o metabolismo e aqueles que reduzem o apetite. Dentre estes, o mais popular é o suco verde. Em suma, sucos com gengibre, maçã, linhaça e couve são eficientes.

Farinhas Low Carb

Agora vamos falar sobre as farinhas low carb que estão entre os mais importantes alimentos que ajudam emagrecer. Isso porque a maior parte dos alimentos que ingeríamos diariamente contém farinhas refinadas, as vilãs do ganho de peso.

Desse modo, quem deseja manter ou alcançar o peso ideal precisa reduzir ao máximo o consumo destes alimentos.

Mas como substitui-las? Bem, a boa notícia é que é bem fácil substituir farinha refinada no preparo dos alimentos, logo, se você não quer deixar de comer seu pãozinho, saiba que existe uma opção.

Na verdade, temos várias opções de farinhas integrais e sem, ou com quantidade reduzida de carboidratos refinados. Por exemplo, a farinha de aveia, de amências, de arroz, linhaça e, coco e outras.

Uma das maiores dificuldades nessa substituição é a textura dos alimentos, por exemplo, um pão feito com farinha de aveia é delicioso, contudo, a tendência é que fique um pouco mais seco. Isso acontece porque a aveia não possui glúten, o que dá aquela maciez aos alimentos.

Como resolver isso? Bem, temos algumas saídas… A primeira é misturando a farinha de aveia com uma outra que seja rica em gordura, como é o caso da amêndoa. Também podemos optar por receitas com um pouco mais de manteiga ou óleo.

Outra opção é inserir goma xantana, um produto que melhora a consistência, sabor, textura, aparência dos alimentos. Além disso, aumenta o prazo de validade dos mesmos.

Alimentos Que Ajudam Emagrecer – Os Não Convencionais!

Chegou a hora de falar sobre os alimentos que ajudam emagrecer que não são tão convencionais. Ou seja, geralmente, não fazem parte da nossa alimentação.

  • Psyllium: aqui temos uma fibra que que possui três funções na perda de peso: diminui o apetite, reduz a absorção de gordura pelo corpo e diminui a fome;
  • Quitosana: a quitosana é um tipo de fibra que tem a capacidade de se conectar à gordura no sistema digestivo. Desse modo, ela reduz a absorção de gorduras pelo corpo;
  • Biotina: a biotina é uma vitamina essencial para as funções do metabolismo, A mesma atua no metabolismo, quebrando os alimentos e ajudando a transformá-los em energia;

É fato que os alimentos que ajudam a emagrecer funciona, mas vamos combinar que nem sempre conseguimos consumi-los diariamente. Desse modo, a melhor opção é consumir os suplementos para emagrecer e hoje vou te dar uma dica.

Já ouviu falar no emagrecedor 360 Slim? É um composto 1005 natural, contem substâncias que ajudam a emagrecer e tem aprovação da ANVISA. Aqui no blog temos uma resenha completa sobre o produto, logo, se você realmente quer emagrecer, vale a pena ler.

Exercícios Para Perder Peso

Seu corpo tem que aprender qual a hora de dormir, acordar e comer. No que se refere a identificar os benefícios inerentes a musculação na terceira idade, para Fechine e Trompieire (2012) e Rocha (2013) a prática regular do treinamento resistido na terceira idade é fundamental para diminuir os declínios causados pelo processo de envelhecimento, a atenuação na perda de massa muscular que se inicia após os 50 anos é de extrema importância, visto que, indivíduos praticantes de musculação possuem menor risco de quedas, se tornam indivíduos com autonomia na realização de atividade do cotidiano.

No entanto, quem tem dificuldade para ganhar peso, normalmente tem certa aversão a exercícios físicos, pois a maioria deles promove emagrecimento. Se é então, você precisa saber que são vários os exercícios que lhe permitirão perder esses quilos a mais e ter uma silhueta tremendous apesar de que não irá ao ginásio.

Sartori; Sartori e Bagnara (2012) revelam que a flexibilidade é a capacidade física que é responsável pelo cumprimento voluntário de um movimento de amplitude angular máxima, por uma articulação ou conjunto de articulações, dentro dos limites morfológicos, evitando risco de provocar lesões.

Há também suplementos concentrados de termogênicos que combinam vários dos ingredientes mencionados acima, proporcionando, além da queima de calorias, melhor rendimento nos exercícios físicos e mais disposição no dia a dia. As atividades físicas atuam na composição corporal, isto é, contribuem decididamente no combate ao excesso de gordura corporal.

Exercícios combinados

É preciso prestar atenção não somente na dieta e nos exercícios, mas no que faz as pessoas saírem da dieta e da rotina de exercícios. Os exercícios combinados podem ser interessantes, se a aplicabilidade for possível em detrimento do tempo disponível e frequência do aluno.

Comparar efeito do jejum intermitente (JI) e da dieta how care (LC) na composição corporal de mulheres praticantes de atividade física. A prática de atividades físicas permite contato com outras pessoas que também encontram-se na conjuntura related, possibilitando relacionar-se e encontrar novos valores e significados para sua vida.

Além do mais, a pesquisa deseja nortear os profissionais de educação física a buscarem aprofundamento sobre assunto, bem como, se especializando, por exemplo, para atender, orientar e estimular todos os praticantes do exercício físico (VARGAS; PESSOA e ROSA, 2019).

Sartori; Sartori e Bagnara (2012) p. 04 revelam: os alongamentos, que são práticas regulares e orientadas, além de combater estresse, e reduzir as tensões musculares, ajuda na coordenação motora global, melhorando assim as capacidades para outras atividades do cotidiano”.

Mas pode treinamento funcional também pode fazer seus outros exercícios mais eficazes. Outra opção que temos é de andar ao ar livre fora do ginásio, não execução de uma atividade prazerosa, de baixo impacto e que pode fornecer regularmente em grandes mudanças no gasto calórico de quem está acima do peso e quer perdê-lo.

Ao perder peso, deve se considerar impacto da atividade sobre as articulações, e gasto energético com atividades de acordo a condição física de cada indivíduo, que muitas vezes têm problemas articulares e doenças cardiovasculares associadas à obesidade.

Celulite na Barriga – Conheça os 5 Melhores Tratamentos

A celulite na barriga é um dos problemas que mais incomodam as mulheres, mas existem tratamentos que melhoram muito! Veja 5 dicas.

Em se tratando de celulite, sem dúvida, não importa a parte do corpo. Onde ele aparece costuma incomodar muito!

O problema pode aparecer em quase todo o corpo: braços, pernas, bumbum e também na região abdominal.

No entanto, as mulheres geralmente demonstram maior descontentamento quando há celulite na barriga e nas pernas.

Uma parte do grupo feminino gosta de vestir peças que mostram a barriguinha, inclusive biquíni.

Por outro lado, temos aquelas que não gostam de expor a área, mas ainda sim se incomodam.

Isso porque os famosos furos aparecem sob a roupa quando o tecido é mais fino.

Além disso, quase sempre a celulite vem acompanhada de flacidez, o que causa um visual ruim.

Então, há quanto tempo sofre com celulite na barriga? Sabia que existem vários tratamentos que podem te ajudar?

Venha comigo e confira algumas dicas de tratamentos indicadas por profissionais da área e os tipos de celulites.

O Que é e Quais os Tipos de Celulite no Corpo?

Em suma, a celulite é um tipo de alteração ocasionada pelo acúmulo de gordura, toxinas e água nas células.

Então, esse acúmulo faz com que as células fiquem inchadas e endurecidas. O resultado é aquele aspecto de furinhos na pele.

Em resumo, a celulite é uma espécie de afecção e pode ser classificada em 4 graus e 4 consistências. Veja!

  • 1: a celulite no grau 1 não é palpável nem visível. Ela tem apenas algumas alterações iniciais.
  • 2: também não é visível, mas é palpável. Aqui já se observa o aspecto de casca de laranja, frieza e palidez na pele e falta de elasticidade.
  • 3: celulite palpável e visível.
  • 4: nódulos visíveis, palpáveis e em tamanho maior. Também podem doer.

Celulites quanto à consistência

  • Dura: é comum em pacientes jovens e só aparece quando há pressão com os dedos;
  • Flácida: aparece em pessoas sedentárias e em mulheres que perderem muito peso;
  • Edematosa: ocorre em mulheres jovens que fazem uso de pílulas. Nesse caso o edema e o aspecto de casca de laranja aparecem precocemente;
  • Mista: esta é a evolução de uma fase para outra e pode ter a consistência endurecida ou flácida nas coxas;

Quais São as Causas da Celulite e Seus Sintomas?

Como falei antes, tanto a causa da celulite na barriga quanto em outras áreas são afecções. Logo, não são inflamações como muitos acreditam.

Sendo assim, esta afecção envolve o sistema circulatório, compromete o tecido adiposo e a derme.

Em suma, provoca mudanças no aspecto e na textura da pele. Por isso, aparecem os furinhos e a flacidez.

Falando de causas, elas podem ser várias, a começar pelo excesso de pele na região. Contudo, mulheres magras também são atingidas.

Logo, o motivo é que quando há excesso de pele cria-se um desequilíbrio entre a quantidade de massa muscular e gordura.

  • Remédios: terapia de reposição, hormonal, pílulas, corticosteroides, etc.;
  • Fatores hormonais: a celulite tem relação direta com estrogênio, pois ele age em todas as fases de sua formação;
  • Obesidade, sedentarismo e também disfunções no intestino;
  • Gravidez e tabagismo;
  • Distúrbios no sistema circulatório, alimentação com excesso de sal, açúcar e álcool;
  • Por fim, fatores genéticos;

Na maioria dos casos é possível evitar e melhorar a aparência das celulites. Inclusive da celulite na barriga.

Por exemplo, manter uma alimentação saudável, evitando, frituras, açúcar e sal.

Outra forma de amenizar esse processo é não usando pílulas e evitando roupas apertadas. Roupas apertadas interfiram na circulação.

Além disso, se você é predisposta ou se já está com a afecção, fique longe de álcool e cigarro.

O mais comum é a celulite não apresentar tantos sintomas. A princípio, somente o aspecto de casca de laranja.

A priori, os sintomas têm relação com a má circulação e com a retenção de líquido. Então, há uma evolução do problema e com isso é possível que se desenvolva alguns nódulos dolorosos.

Logo, quase sempre o que incomoda é a aparência. Tendo em vista que em alguns casos os furos são maiores e a região fica flácida.

Confira 5 Tratamentos Seguros Para Reduzir a Celulite na Barriga

Drenagem linfática combate celulite na barriga

Como já falamos antes, uma das principais causas da celulite na barriga e em outras partes do corpo é a má circulação.

A celulite na barriga é um dos problemas que mais incomodam as mulheres, mas existem tratamentos que melhoram bastante! Veja 5 dicas.

Então, a drenagem linfática é fundamental e serve como potencializadora de outros tratamentos.

Além disso, esse tipo de massagem também deve ser feita com frequência como meio de evitar que mais celulites.

Radiofrequência

Considerado um tratamento muito eficaz em qualquer tipo de celulite, inclusive celulite na barriga.

O aparelho usado na radiofrequência age por meio de radiação eletromagnética de alta frequência.

Sendo assim, promove uma agitação das moléculas de água fazendo com que aumentem sua temperatura, reestruturando o tecido.

Mesoterapia

A priori, é um procedimento minimamente invasivo que visa introduzir vitaminas e enzimas na camada de gordura que existe embaixo da pele através de injeções.

Sem dúvida, é uma das melhores opções para tratar celulite na barriga. No caso das celulites são injetados remédios como colagenase e hialuronidase que destroem as bandas de tecidos fibróticos.

De acordo com especialistas em casos moderados são necessárias de 3 a 4 sessões que devem ocorrer no intervalo de um mês.

Criolipólise também combate celulite na barriga

Trata-se o local com um aparelho que age congelando as células de gordura e rompendo-as, em seguida.

Também são necessárias várias sessões e a paciente precisa manter uma alimentação saudável, como nos outros casos.

Bottox Caps

Alguns suplementos são muito eficientes no combate à celulite e o Bottox Caps é um deles.

Trata-se de um produto natural. Um colágeno hidrolisado que dentre outras coisas, aumenta a elasticidade da pele, reduz a flacidez e trata celulite.

A saber, o Bottox Caps já é popular em vários países e chegou ao Brasil com toda a força.

Além de combater sua celulite na barriga, o produto também previne envelhecimento precoce, ameniza olheiras, fortalece as unhas e diminui dores nas articulações.

Quer saber mais sobre o produto? Acesse a resenha que fiz sobre ele.

8.000 CALORIAS NAS “DIETAS DE PESO” DE HIPERATLETAS

A DIETA HIPERCALÓRICA DOS HERÓIS OLÍMPICOS QUE TEM POTENCIAL PARA SE TORNAR VILÃ

Até alcançar o topo, atletas de alto rendimento, também chamados de elite, seguem uma rotina que envolve intenso treinamento, disciplina, dedicação e compromisso. Um elemento fundamental no preparo de um atleta é a alimentação. Para os que possuem alto gasto calórico, como os de modalidades olímpicas que incluem da corrida à natação, passando pelo ciclismo e pelo levantamento de peso, ela deve ser diferenciada, com elevada ingestão de calorias, obtidas através de uma dieta hipercalórica.

Tal dieta tem o objetivo de manter ou aumentar a massa muscular. Adeptos desse tipo de alimentação devem ingerir proteínas de alto valor biológico, encontradas em carne, leite, ovos e carboidratos de alta qualidade nutricional, como pães e massas, raízes ou tubérculos, presentes na batata, inhame e mandioca, além de frutas e vegetais.

“Tenho que ingerir em média, 8 mil calorias por dia. Entretanto, quantidade não significa falta de qualidade na minha alimentação. Apesar de precisar manter um peso de 140 quilos, minha dieta é toda baseada em proteínas e carboidratos. Acredito que se alimentar bem é comer de tudo, de forma inteligente. Eu priorizo a ingestão de carnes e peixes, bem como arroz, feijão, batata, massas, verduras, legumes e frutas. De vez em quando, como fast food, sim, e uma boa taça de sorvete. A boa alimentação e o descanso apropriado, combinados com muito treino, contribuem de forma positiva para a obtenção de bons resultados”, descreve Fernando Reis, recordista sul-americano em levantamento de peso e primeiro atleta brasileiro a conquistar medalha de ouro na modalidade em Jogos Pan-Americanos, no ano passado, em Guadalajara. Trata-se da dieta com que se prepara para Londres.

Quando seguir as “dietas de peso”

De acordo com o Professor Dr. Edilson Serpeloni Cyrino, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), as dietas hipercalóricas devem ser utilizadas basicamente em duas situações: quando o nível de atividade física habitual é elevado para a manutenção da massa corporal, no caso de atletas e praticantes de exercícios físicos muito intensos ou de longa duração ou para ganhos de massa corporal, sobretudo, massa muscular.

“Há uma forte relação entre hipertrofia (aumento da massa muscular) e força muscular. Dietas hipercalóricas associadas ao treinamento de alta intensidade, como o treinamento com pesos, por exemplo, estimulam a hipertrofia muscular e o consequente ganho de força e potência muscular. Atletas que se submetem a essa estratégia nutricional devem controlar periodicamente sua composição corporal, já que essas dietas podem resultar em acréscimos indesejáveis de gordura”, explica o especialista.

Beber muita água é essencial

As dietas hipercalóricas devem ser feitas com a orientação e sob a supervisão de um nutricionista, após análise preliminar de cada caso específico. As recomendações vão atender a necessidades e objetivos desejados. O tempo de duração deste tipo de alimentação está relacionado a fatores como a fase do treinamento e o cronograma de competições, no caso dos atletas profissionais, e o alcance ou não dos objetivos traçados, no caso dos demais. Se mal administrado, ele pode resultar em efeitos nocivos à saúde, como ganho de gordura corporal, elevação no nível de triglicerídeos no sangue, aumento da resistência a insulina e o desenvolvimento de doenças crônico-degenarativas como hipertensão arterial, diabetes tipo 2 e  doenças cardiovasculares.

No caso dos atletas de alto rendimento, a necessidade de seguir uma dieta hipercalórica deve-se ao treinamento de alta intensidade, que aumenta a degradação proteica (catabolismo) – ou seja, exige maior reposição de proteínas para reparar os danos musculares induzidos pela prática do exercício físico. Além disso, a alta ingestão de proteínas aliada ao treinamento com pesos de alta intensidade promove um ambiente metabólico favorável ao ganho de massa muscular, ideal para os atletas.

A ingestão de água também deve ser observada pelos adeptos desse tipo de dieta. Enquanto em indivíduos pouco ativos fisicamente, a dose recomendada é beber dois litros por dia, pessoas que fazem dietas hipercalóricas devem aumentar a ingestão do líquido para repor as perdas provocadas pela prática de exercícios físicos. Entre as estratégias para avaliar a quantidade de reposição de água a ser feita estão começar a hidratar duas horas antes de começar a treinar, durante o treino e se pesar antes e depois dos exercícios.

FENÔMENO DAS  PISCINAS, MICHAEL PHELPS INGERE 12 MIL CALORIAS DIÁRIAS

Confira a dieta diária deste hiperatleta:

Café da Manha

    3 sanduíches de ovo frito, com queijo, alface, tomate, cebolas fritas e maionese
3 xícaras de café
1 omelete com cinco ovos
1 tigela de cereais.
3 fatias de torradas com açúcar
3 panquecas de chocolate.

Almoço

1 pacote de macarrão (500g, mas, depois de pronto, cerca de 2kg)
2 sanduíches de queijo com presunto
1 copo de de bebida energética com 1.000 calorias

Jantar:

1 pacote de macarrão (500g)
1 pizza inteira
1 copo de de bebida energética com 1.000 calorias

Isso equivale a 5 vezes mais cálcio, 7 vezes mais ferro e 9 vezes mais fósforo do que uma pessoa comum consome. É o equivalente ao que 5 homens comem por dia, ou ao que uma mulher consome em 15 dias.

NUTRIÇÃO ESPECIAL PARA PEQUENOS ATLETAS

De repente fica evidente que o seu filho pertence ao mundo dos esportes: mais do que o amor pela atividade escolhida, ele realmente possui potencial para alcançar resultados de destaque em competições. O universo das medalhas é real para ele.

Com treinos diários, toda a rotina da criança deve ser reformulada. Isso inclui não apenas os estudos e a vida social como também um fator fundamental para o bom desempenho de qualquer esportista: a alimentação.

No entanto, no caso dos pequenos, a alimentação reforçada exige cuidados dobrados: apesar de estarem em fase de crescimento, não pode cair no exagero. A nutrição, além de mais encorpada, também deve ser balanceada. Por exemplo: como a atividade física produz mais radicais livres, alimentos com poder oxidantes devem estar sempre presente nas refeições. Frutas, em especial as vermelhas-roxas e as ricas nas vitaminas C e E, são parte fundamental no cardápio do futuro campeão.

A nutricionista Alexandra Marinho alerta para o fato de que a dieta da criança que pratica esportes de duas a três vezes por semana não deve ser igual a do míni atleta. “Na verdade, o que vai definir exatamente o cardápio dessa criança que treina diariamente é o esporte que ela pratica e sua intensidade, ou seja, quantas horas por dia ela o faz”. Atividades como atletismo, crossfit, triatlo, tênis e futebol são especialmente mais exigentes em termos alimentares.

A alimentação deve ser bem variada, para que não falte nutriente nenhum. O cálcio, chave para a formação de massa óssea, e o ferro, que ajuda no transporte de oxigênio para os tecidos, são particularmente importantes. O cálcio é amplamente encontrado no leite e em seus derivados, enquanto o ferro está presente em verduras com coloração verde-escura (espinafre, brócolis) e nas carnes, principalmente nas vermelhas. A quantidade de proteínas deve ser mais elevada do que a média para a criança comum, mas apenas o nutricionista será capaz de estabelecer o volume exato de acordo com cada caso.

Alimentos industrializados são muito processados, empobrecendo o valor nutricional original de seus ingredientes. Além disso, possuem muito sódio, conservantes artificiais, gorduras excessivas e níveis altíssimos de açúcares – ou seja, vão na contramão dos bons hábitos de nutrição. Se para a criança com atividades regulares elas já são contra-indicadas, para as que treinam intensamente são ainda mais proibitivas. Enlatados, molhos, condimentos, congelados, sucos de fruta de caixinha, achocolatadas, refrigerantes, bolos e biscoitos devem corresponder a uma porção ínfima da dieta geral da criança.

Por outro lado, se a alimentação ideal da criança comum é composta por carboidratos complexos – leia-se massas, pães e arroz integrais, substituição da batata inglesa pela doce, etc – o atletinha poderá usufruir de porções de carboidratos simples: os mesmos itens em versões regulares. Afinal, muitas vezes a criança precisa de uma dose imediata de açúcar no sangue, de modo a conseguir desempenhar exercícios de alta exigência. Mas novamente apenas um nutricionista será capaz de avaliar o caso e recomendar a quantidade.

A hidratação deve ser realizada com água e precisa ser constante durante a prática, já que pode durar horas seguidas. Lembre-se: há uma grande perda de água por conta do suor. Fora do treino, a água deve ser constantemente oferecida em pequenas porções ao longo de todo o dia. O consumo de isotônicos é fortemente desencorajada para crianças esportistas.

“Se um dia por algum motivo a criança reduzir a frequência e a intensidade da prática esportiva competitiva, esse profissional também deverá ser visitado, já que o aporte calórico recomendado fatalmente diminuirá”, avisa Alexandra Marinho.

TUDO O QUE VOCÊ DEVE COMER APÓS MALHAR

PARA ALCANÇAR MELHORES RESULTADOS É PRECISO NUTRIR O CORPO DA FORMA CERTA, APÓS A MALHAÇÃO

Por Manoela Telles

Malhar promove bem estar físico e psicológico, aumenta a disposição e a energia, afasta o risco de doenças crônicas, combate a depressão, alivia o estresse e também deixa o corpo saudável. Corrida, caminhada, academia, esportes, várias são as opções para quem deseja se exercitar. Só que a dedicação e o esforço devem vir acompanhados de cuidados com a alimentação. Especialmente após o treinamento.

“Depois de treinar, costumo comer frutas como banana e maçã para repor as energias. Também é importante comer proteínas e carboidratos, como o queijo branco e pães, para a recuperação muscular”, diz a remadora Fabiana Beltrame, a caminho de Londres, sobre como dá continuidade ao treino ao se alimentar.

De acordo com o nutricionista Rodolfo Peres, uma boa alimentação após o treino proporciona uma recuperação muscular mais rápida, o que auxilia no processo de hipertrofia para quem faz musculação, por exemplo. Também repõe os níveis de glicogênio (reserva de carboidratos) e garante, dessa forma, ótima recuperação entre os treinos. Além disso, auxilia no processo de tonificação muscular. Ainda, segundo o especialista para cada caso, há um tempo certo para se alimentar após o treino.

“Se a pessoa deseja hipertrofia (ganho de massa muscular) deve se alimentar logo após os exercícios. Para quem deseja emagrecer, o ideal é aguardar um prazo de trinta minutos a uma hora, antes de se alimentar, dando ênfase à ingestão de água durante esse período. Essa prática otimiza o uso de gordura corporal como fonte de energia neste período”, explica o nutricionista.

Que alimentos ingerir após o treino?

Para maximizar o resultado da malhação, o ideal é escolher opções de alimentos ricos em proteínas como as carnes (peito de frango, carne bovina magra, claras de ovos), além de carboidratos de alta qualidade – como batata doce, cará, inhame, pão integral, macarrão integral, arroz integral e aveia. Alimentos compostos por gorduras “boas” também são indicados, como castanha e salmão e para temperar saladas, azeite de oliva extravirgem e pequenas porções de abacate. Vale ressaltar que o apoio de um profissional de nutrição é indicado, já que cada pessoa tem um objetivo e biótipo próprios.

Em alguns casos, também é necessário se alimentar durante o treinamento

“Nas atividades com duração até uma hora, apenas água é suficiente. Já em atividades mais intensas, com duração superior a uma hora como lutas, ciclismo, corrida, entre outras, sugere-se o consumo de bebidas isotônicas, pois contêm eletrólitos (magnésio, potássio, sódio) e carboidratos, que ajudam na reposição energética. Há diversas opções no mercado e em geral, ela possuem sabor agradável, que facilita o consumo”, indica Rodolfo Peres.

Já o uso de suplementos alimentares vai depender do nível do exercício praticado. Segundo o especialista é possível obter grandes resultados através da suplementação com carboidratos como a maltodextrina e o waxy maize e proteínas como o whey protein, com ingestão antes e depois dos exercícios. Outros suplementos como glutamina, creatina e BCAA (Branch Chain Amino Acids) podem ser utilizados conforme o aumento da intensidade dos exercícios. Já os suplementos com a finalidade de substituir as refeições ao longo do dia, como caseína, refeições líquidas e barras de proteínas podem ser utilizados por qualquer pessoa, independente da intensidade do exercício.

“Essa classe de produtos visa fornecer nutrientes adequados em momentos em que é impossível ou inviável consumir produtos in natura. Por exemplo, se no meio da manhã, estou no trabalho e não tenho bons alimentos à disposição, é muito mais vantajoso tomar um shake de caseína e comer uma fruta do que comer um salgado ou pão de queijo na padaria da esquina”, alerta o nutricionista.